O Top Trend das Redes Sociais em 2015 - Marcelo Fradim
Por do Sol em Franca
12/12/2014
25 tendências tecnológicas para 2015-2016
08/01/2015
Exibir tudo

O Top Trend das Redes Sociais em 2015

Um olhar atento não apenas com a “bola de cristal das redes sociais” mas focado no “Top Trends “ das redes para 2015 

As publicidades no Facebook vão aumentar e o preço também 

O Facebook nos advertiu repetidas vezes em 2014 que o post(postagem)de  alcance orgânico continuará diminuindo significativamente. Ele mudou diversas vezes a forma de socialização das mensagens neste último ano. Isto tornou-se um problema para os empresários que vinham  utilizando o Facebook para comercializar os seus produtos e serviços. Vi artigos e mais artigos falando sobre a perda do post orgânico, a realidade é que a audiência da rede cresceu mas para a sua publicação atingir a massa, será preciso que você coloque a mão no bolso

Com o aumento da demanda virá o aumento de preços. No Q3 de 2014 da Fox News, a receita do Facebook subiu 64% em relação a 2013. Podemos esperar que irá crescer exponencialmente em 2015

Nós também estamos ansiosos para ver o novo botão ‘comprar’  do Facebook . Irá crescer as compras sociais e, com isso, aumentar as receitas de publicidade no Facebook

Redes sociais de nicho continuar a crescer … mas será que irão durar 

Com quase 5 meses de idade a Ello, que atualmente é somente para convidados, semelhante ao que vimos com a introdução do Pinterest, causou uma grande curiosidade. Ello é rotulado por alguns como a “nova rede social legal’. Ello atualmente oferece uma experiência sempre livre de anúncios e promete nunca vender informações de seus usuários a terceiros. No entanto, é duvidoso que ela vai ser uma concorrência séria para Facebook devido ao fato de que a maioria dos usuários finais não estarão dispostos a pagar para usar a rede social, uma vez que irão lançar sua versão com recursos avançados. Sem receita publicitária a Ello não terá um modelo sustentável… mas está em crescimento e, o visual clean é mesmo tentador

Outra rede para prestar atenção em 2015 é a Tsu (se fala “su”). A intenção do Tsu é pagar o usuário pelo conteúdo que ele cria, como se ele recebesse dinheiro de direitos autorais por isso. Quanto maior o alcance, maior a grana

A publicidade no Twitter vai explodir 

Twitter anunciou campanhas publicitárias objetivas, a fim de seduzir empresas com mais escolha e flexibilidade. Essas pequenas e médias empresas, que têm ficado frustradas com o Facebook vão saltar pro Twitte, especialmente para aqueles que procuram chegar a um público mais jovem e do sexo masculino. A nova estrutura de taxas permite que as empresas paguem para determinadas ações com base no desempenho (resultados) em vez de apenas retweets ou cliques

Instagram  e a vontade de continuar a crescer exponencialmente 

Instagram tornou-se a rede de imagem e de vídeo com base marketing de mídia social. O Instagram é a escolha esmagadora e já superou o Facebook e Twitter entre os usuários jovens em 2014. Os adolescentes norte-americanos agora descrevem o Instagram como “mais importante”, enquanto o Facebook e Twitter perdeu terreno sobre esta massa, de acordo com a pesquisa da Piper Jaffray. A pesquisa também descobriu que 83% dos adolescentes americanos de famílias ricas estavam no Instagram

LinkedIn irá transcender B2B em B2C.

De acordo com o Business Insider, o LinkedIn é mais popular do que o Twitter entre os adultos norte-americanos. No núcleo demográfico do LinkedIn estão os usuários com idade entre 30 e 49 anos  e que estão no auge de suas carreiras. Em 2015, vamos ver o crescimento contínuo do recrutamento B2B e da publicidade, mas também vamos ver mais marcas de luxo que utilizam o LinkedIn para criar uma relação B2C com os dados demográficos afluentes do LinkedIn

2015 será o ano das redes sociais anônimas 

Em 2014, as aplicações de mídia social anônimos como Sussurro, Segredo, e YikYak tornaram-se a paixão para os mais jovens. O fascínio foi a capacidade de expor as questões e pensamentos de forma anônima. Os pais dos jovens e adolescentes é que não  ficaram muito felizes com esses aplicativos devido ao aumento da oportunidade de bullying. No entanto, em 2015, vamos ver o crescimento desses aplicativos para aquelas pessoas que sentem que se expões demais  na mídia social tradicional; eles, ao invés de se reunirem, irão para a rede sem login, sem perfil, e nenhum vestígio

Atendimento ao Cliente será uma área de grande crescimento na rede social.

Segundo a pesquisa Edison, 24% dos usuários americanos de internet acima dos 12 anos que contactaram uma marca em mídias sociais esperam uma resposta dentro de 30 minutos, independentemente de quando o contato foi feito. Ao longo dos últimos anos, o comportamento do consumidor nos mostra que eles querem interagir, contactar o serviço ao cliente e fazer perguntas via mídia social. Em 2015, as marcas que abraçarem o serviço ao cliente social com certeza será recompensada

Conteúdo de imagem e vídeo vão dominar cada vez mais as redes sociais

De acordo com a Cisco, 80% de todo o tráfego de Internet para o consumidor será de vídeo em 2018. Os consumidores querem a informação que é rápida e direta ao ponto e, as marcas estão ouvindo isso e, estão se transformando, mudando de texto para conteúdo de vídeo de rede social. Os vídeos podem ser criados e compartilhados facilmente com smartphones e tablets que não são caros para produzir e não demoram muito para criar

O ano de tecnologia wearable.

Como vamos conectar nas redes sociais? Dispositivos portáteis para vestir são a nova tendência tecnológica! Até mesmo a revista de moda Vogue irá colocar o Apple Watch, o dispositivo mais aguardado em 2015, em uma de suas capas. Óculos inteligentes e de realidade virtual, headsets ,são agora produtos de consumo viável e todos conectados nas redes sociais. Wearable (termo que significa tecnologias para vestir)  não é mais apenas para o George Jetson

As empresas irão parar de lançar apenas e, finalmente, começar a se relacionar com sua base de clientes 

Nos últimos 2 anos, eu disse aos meus clientes para pararem de  lançar seus produtos em redes sociais. O que eles descobriram foi que, quanto mais eles insistiram nesta prática, mais as pessoas se desligaram de suas marcas. Em 2015, veremos que o conteúdo de sua empresa tem que ser mais do que uma mera estratégia de vendas. O conteúdo deve ser informativo, relacionável e principalmente de entretenimento

Marcelo Fradim é o proprietário da NoBrands, especialista em Mídia Social. Ele coloca seu conhecimento combinado de plataformas de mídia social e melhores práticas como um empresário qualificado a trabalhar para clientes em uma miríade de mercados verticais, incluindo direito, medicina, finanças, tecnologia, manufatura, varejo e organizações baseadas em serviços. Além disso, desprende tempo e energia para programas de extensão cívicos, bem como grupos comunitários e de caridade. Contate Marcelo Fradim através do email: marcelo@fradim.com.br  

Fontes: Fox News, Mídia Social Examiner, Business Insider e Forbes

Deixe uma resposta